Receba atualizações no seu Facebook. Basta curtir a nossa página abaixo:

 

‘Ninja Village’ Review


$4.99
Buy Now

I’m always a bit conflicted when it comes to Kairosoft’s games. After making a big splash with Game Dev Story [$0.99], a hit simulation that was both fresh and hard to put down, they started to release more and more of their back catalog. As they did, it became more apparent with each release that Kairosoft weren’t actually the innovating type they appeared to be initially. Rather, they had a few different spins on the simulation genre and basically bolted new frames onto them. For example, you wouldn’t think car racing and soccer have much in common, but the Kairosoft takes on them were quite similar. In recent years, they’ve tried to implement deeper mechanics and new ideas into their sims, resulting in titles like Dungeon Village [$3.99] and Epic Astro Story [$3.99], which seems to have reinvigorated interest in their games. Sadly, that effort seems to have tuckered the poor developers out, because they’re falling back into their old ways with their recent releases.

Ninja Village [$4.99] is basically a new coat of paint splashed on top of Epic Astro Story. Your goal is to develop your village to support the Shogun in his bid to unite Japan. You’ll do this both by contributing funds to hire an army and by training up villagers to personally take arms in battle. To keep the coffers full, you’ll have to set up a functioning economy through farming and shops, and you’ll also need to provide lodgings and equipment for the people who choose to reside in your town. New building types, equipment, unit types, and land expansions can be earned by subjugating nearby clans and attracting new visitors to your village.

Photo 1-29-2014, 18 27 17Photo 1-29-2014, 18 27 17You’ll start off by building up your main village. There are enemy clans immediately surrounding you that you’ll have to take out to claim their land. Once you’ve done so, their leaders will join your village and their land will be yours. It doesn’t take long to take over the immediate area, and soon after, a deposed Shogun will show up at your door, seeking your aid in his efforts to unify the country. Once you’ve reached this stage, you can switch to a map of the whole country that shows neighboring warlords. To defeat them, you’ll need to strengthen the Shogun’s army. You can choose who you want to attack and when, and after you’ve defeated a warlord, the remaining ones get a bit stronger. Defeated warlords will join your main village, and the treasures you earn through your victories will unlock new features for your village and army.

Like Epic Astro Story, you have to pay a little bit more attention to what you’re doing than in most of Kairosoft’s other games, but it’s still not a terribly difficult game. You’ll win if you keep playing, more or less, but as ever, at a certain point in the game, 16 in-game years in this case, your score will be tallied up. You can continue on after that as long as you’d like, but the challenge is in trying to get the best score in that relatively brief period. Your score is dependent on a variety of factors, including cash on hand, the number of warlords you’ve subdued, the number of building types you’ve uncovered, and so on.

Photo 1-29-2014, 18 27 35Photo 1-29-2014, 18 27 35Graphically, this is the same stuff we’ve seen before, almost down to the pixel if you’ve played Oh! Edo Towns [$3.99]. Historically speaking, the Japan of this game is about 300 years older than the Japan of that game, so it’s kind of weird that everything looks so similar. It’s not bad or anything, but I wish Kairosoft would try something new once in a while. We’re at the point where even the buildings are mostly recycled, leaving very little new to see at all. One small touch I do like is that your weapon and armor changes are visible on your little warriors. This was the case in Epic Astro Story as well, but it’s a rare enough case among 2D games that it bears mentioning. The music is familiar as well, though I suppose it’s all technically new. The sound effects and UI are the same as ever. It’s all very functional and there’s not quite as much esoteria hidden in submenus as some of their other games, but it’s still very much a design from the old feature phone days.

It might sound like I’m incredibly weary with this developer’s games, and to an extent, I suppose I am, but that’s not to say this particular game is bad by any means. If this were someone’s first Kairosoft game, they’d probably think it was the best thing ever. Like all of their games, this one grabbed me for a full playthrough, keeping me strongly engaged until I had poked around all of its corners. Having done so, I doubt I will ever play it again, but for a few bucks, I’m not unhappy with the amount of play I got from Ninja Village. I’m also happy to see that like Pocket Stables [$3.99], there’s not a trace of IAP to be found here, perhaps signalling an end to their brief fling with the concept.

If you look at this game as a candy bar, meant to be consumed, enjoyed, and then forgotten soon after, it’s certainly a good one. On a scale of Turkish Delight to Snickers, this is about a Kit Kat bar. I think I’m just a bit disappointed because I feel like these guys could do a lot more than what they’re doing, and now that we’re hitting the point where even the themes are getting recycled, their lack of ambition is all the more apparent. Ninja Village is a cool game, but how well you like it can probably be measured in inverse proportion to how many Kairosoft games you’ve already binged on. If you’ve only played a couple of their games, go for it by all means, but if you’ve played most of their lineup and find yourself getting a bit tired of the old hamster wheel, you’re not going to be missing out by taking a pass on Ninja Village.

Publicado por: TouchArcade - Continue lendo: http://toucharcade.com/feed/

Tags:

Empresas de tecnologia podem falar mais sobre dados entregues ao governo dos EUA

O governo dos EUA chegou a um acordo com empresas de tecnologia em relação a quanto elas podem falar sobre os nossos dados que estão sendo coletados.

Segundo a AP:

O Departamento de Justiça anunciou o acordo na segunda-feira com o Google, Microsoft, Yahoo, Facebook e LinkedIn. Outras empresas também devem participar assim que ele for aprovado pela Corte de Vigilância de Inteligência Estrangeira. As empresas queriam prestar as informações para aliviar a especulação pública sobre a sua cooperação com o governo. O governo se opôs ao pedido das empresas, dizendo que isso poderia interferir nas investigações de segurança nacional.

Segundo a AP, o acordo ainda é “muito vago em termos” e as empresas precisam esperar seis meses antes de falar qualquer coisa. Até agora, a maioria dos pedidos de dados feitos pelo governo acompanharam uma Carta de Segurança Nacional, um pedido para manter tudo em silêncio. Então em breve você poderá saber um pouco mais sobre os hábitos de espionagem do governo dos EUA. [AP]

  • DESTAQUES
  • RELACIONADOS
  • POPULARES


GVT Music Live Show Cazuza

A tecnologia fantasmagórica do show de Cazuza convence — mas não, não pode ser chamada de holografia


9W8C1189

David Baker: “Ninguém precisa abandonar a tecnologia, mas é necessário experimentar momentos de desconexão”


ku-xlarge-1

30 anos depois, o primeiro delator da NSA conta todos os detalhes de sua história


L1030476

Registrando o encontro entre Banksy e Osgemeos, em Nova York


Novo comercial do Windows é apenas para quebrar o gelo


160x120_explore_gizmodo_videos_500

Não dá para acreditar que isso é só uma apresentação de PowerPoint


bing

Bing e SkyDrive no Windows 8.1: é assim que se integra produtos


Google quer saber o que você ama


Vídeo assustador mostra garotos destemidos se segurando no topo de prédios com apenas uma mão

Vídeo assustador mostra garotos destemidos se segurando no topo de prédios com apenas uma mão


Veja este navio de cruzeiro ser cortado ao meio e ficar 30 m mais longo

Veja este navio de cruzeiro ser cortado ao meio e ficar 30 m mais longo


Fotos chocantes do local onde serão realizadas provas aquáticas das Olimpíadas do Rio de Janeiro

Fotos chocantes do local onde serão realizadas provas aquáticas das Olimpíadas do Rio de Janeiro


O céu fica incrível visto do lugar mais escuro e mais nítido da Terra

O céu fica incrível visto do lugar mais escuro e mais nítido da Terra

Publicado por: Gizmodo - Continue lendo: izmoizmododohttp://feeds.feedburner.com/gizmodobr

Tags: , ,

D-Link DIR-868L

O segmento de roteadores wireless é bastante competitivo, com opções de muitas empresas com as mais variadas tecnologias, formatos e preços.

Hoje iremos analisar um produto que busca conquistar os usuários entusiastas pelas suas tecnologias, com controles avançados das opções de compartilhamento de sinal de internet em especial, o D-Link DIR-868L, AC1750, roteador wireless que promete ser um dos melhores do mundo com suporte a redes 2.4GHz e 5.0GHz, portas Gigabit e conexão USB 3.0.

Seu design bastante diferente é outro atrativo, tanto pelo formato como pelo acabamento em “black piano”.

Seu preço no Brasil é de cerca de R$800, valor bastante alto para um roteador, que de acordo com a D-Link, se justifica pela alta qualidade e características diferenciadas. Nos Estados Unidos seu preço é de U$ 150 dólares (pesquisa feita dia 06/01/2014 no site newegg.com).

Características técnicas
Abaixo as características técnicas e tecnologias suportadas pelo roteador D-Link AC1750 Gigabit Dual-band USB 3.0 (DIR-868L):

Interfaces do Dispositivo
- Conexão LAN Wireless 802.11 a/b/g/n/AC
- Quatro Portas LAN Gigabit 10/100/1000
- Porta WAN Gigabit 10/100/1000
- Porta USB 3.0

Tipo da Antena
- Seis antenas internas

Padrões
- IEEE 802.11ac (draft)
- IEEE 802.11n
- IEEE 802.11g
- IEEE 802.11b
- IEEE 802.11a
- IEEE 802.3
- IEEE 802.3u

Requisitos Mínimos Do Sistema
- Windows 7/Vista/XP SP3 ou Mac OS X 10.4 ou superior
- Microsoft Internet Explorer 6 ou superior, Firefox 1.5 ou superior, ou outro navegador que suporte Java
- CD-ROM
- Interface de Rede Ethernet
- Modem a cabo ou DSL
- Conexão com um Provedor de Serviços de Internet

Recursos Avançados
- Guest Zone (Zona de Convidados)
- Interface SharePort™ web access
- Configuração multilíngue Web Setup Wizard
- Green Ethernet
- Suporte ao servidor DLNA Media
- Dois Firewalls Ativos
     - NAT (Tradução de Endereço de Rede)
     - SPI (Stateful Packet Inspection)
- Configuração VPN/multisessão PPTP/L2TP/IPSec

Serviço mydlink
- Gerenciamento Remoto
- Visualiza a frequência de banda de upload/download
- Gerencia detalhes de rede wireless
- Visualiza os clientes conectados no momento
- Visualize o histórico de navegação por cliente
- Bloqueia/desbloqueia acesso de clientes à rede
- Gerencia os detalhes da rede wireless
- Acessível através de um navegador web ou aplicativo móvel iOS ou Android

Suporte à Aplicativos Móveis
- mydlink Lite
- SharePort Mobile
- QRS Mobile

Segurança Wireless
- WPA WPA2 (Acesso Protegido Wi-Fi)
- WPS (Configuração Wi-Fi Protected) PIN/PBC

Dimensões (C x L x A): 102,3 x 123,3 x 217mm (4,03 x 4,85 x 8,54″)
Peso: 560 g (1,23 lb)
Alimentação: Entrada: 100 a 240 V CA, 50/60 Hz / Saída: 12 V CC, 2,5 A
Temperatura: Operação: 0 a 40 °C (32 a 104 °F) / Armazenamento: -20 a 65 °C (-4 a 149 °F)
Umidade: Operação: 0% a 90% sem condensação / Armazenamento: 5% a 95% sem condensação
Certificações
- FCC Class B
- CE Class B
- C-Tick
- DLNA
- Suporte IPv6
- Wi-Fi Certified
- WPS (Configuração Wi-Fi Protected)
- Wi-Fi Multimedia (WMM)
- Compatível com Windows 8

Número da Peça Descrição
DIR-868L Roteador Wireless AC1750 Gigabit Dual-band USB 3.0 com Serviço de Nuvem

Principais Tecnologias
O DIR-868L é um roteador bastante diferenciado no que se trata das tecnologias. Mesmo quando comparado a outros modelos com melhor acabamento e suporte a maior número de tecnologias, esse roteador da D-Link está entre os melhores, possibilitando ao usuário diversas configurações normalmente não encontradas nesse tipo de aparelho, como controle avançado das conexões compartilhadas, além da possibilidade de se criar redes de convidados, em 2.4GHz e 5GHz simultaneamente.

Abaixo listamos algumas das principais tecnologias e recursos disponíveis no roteador, mas antes uma tabela comparativa entre produtos da D-Link da série DIR-8xx:

Velocidade de rede – A 11AC, quinta geração da tecnologia Wi-Fi oferece velocidades de conexão de até 300 + 867Mbps.

Dual Band Simultâneo - Fornece velocidades mais altas com menos interferência de Wi-Fi para máximo rendimento. É possível conectar dispositivos em 2.4GHz e em 5GHz simultaneamente, sem perda na qualidade de sinal.

Alcance do Wi-Fi - Melhor alcance sem fio com “tecnologia” wall-to-wall.

Compatibilidade – A tecnologia 11AC é compatível com produtos Wi-Fi antigos e futuros.

Guest Network – Rede separada e segura para usuários guest / convidados.

mydlink App – Aplicativo para smartphones/tablets de controle da rede e de alguns dispositivos conectados a ela.

Design
A primeira vista seu design chama atenção por ser bem diferente do padrão utilizado no mercado. A ideia foi justamente desenvolver um dispositivo que não lembre um roteador e possa ser colocado à vista em ambientes como o móvel principal de uma sala de TV.

A grande quantidades de LEDs, normais em roteadores, também não estão presentes no DIR-868L, sendo que ele possui apenas dois na parte frontal, um acusando estar ligado e outro que informa se a internet está funcionando ou não (se o LED estiver verde a internet está chegando normalmente ao roteador, se estiver laranja algum problema está ocorrendo ou não possui internet compartilhada por ele).

Questionamos D-link sobre os motivos de seu formato, a empresa falou que apostou em um design inovador. Os roteadores “torre” foram criados com uma proposta diferente de design para que além de uma aparência bonita, tenha otimização de espaço para armazenar da melhor forma as 6 antenas internas(no caso do DIR-868L), e assim economizar na quantidade de material usado mantendo o alto padrão no produto.

Além do DIR-868L, outros modelos da empresa já estão adotando o mesmo design em forma de “torre”, como o DIR-645 e o DIR-826L.

Instalação e configuração
A instalação “básica” do roteador é simples como todo aparelho semelhante, na maioria dos casos, basta se conectar a tomada e conectar o cabo fonte da internet na porta de conexão específica para internet, e os demais cabos dos dispositivos que farão parte da rede em uma das quatro portas disponíveis, ou mesmo via conexão Wireless.

Na parte de baixo do roteador, a D-Link colocou todas as informações necessárias para a configuração, dessa forma caso o usuário perca os dados, basta dar um reset no aparelho e setar as configurações novamente.

CONFLITO: Por coincidência nosso modem tem o mesmo IP padrão do roteador, dessa forma primeiro tivemos que trocar o IP do roteador para depois dar sequência em sua configuração.

É importante que troque no mínimo a classe “C”, ex.: 192.168.X.1 (a que possui a letra X). Pode ser apenas um dígito, como 192.168.1.1. Ou seja, caso seu modem tenha o IP 192.168.1.1, altere o IP do roteador para 192.168.2.1 por exemplo, a partir dai todos os dispositivos conectados ao roteador terão IPs 192.168.2.X.

PS.: Se o modem e o roteador estiverem com o mesmo IP, não será possível compartilhar a internet pelo roteador. Vale destacar também que é possível utilizar mais de um roteador wireless. Caso a operadora de internet forneça um modem com wireless, basta seguir os passos acima caso ambos tenham o mesmo IP, depois da troca será possível ter duas redes Wireless. Mas vale destacar que apesar da grande maioria dos roteadores virem de fábrica com o “canal” em modo automático, o ideal é setar canais diferentes para cada um dos roteadores no que diz respeito a sinal Wireless.

Interface de configuração
Abaixo temos uma série de imagens das telas de configuração do roteador via Android através do aplicativo QRS Mobile, que também está disponível na plataforma iOS.

Mas um dos grandes diferenciais do DIR-868L está em suas opções de configurações avançadas, com muitas possibilidades, oferecendo ao usuário um controle bastante avançado das conexões que passam pelo roteador.

Entre as funcionalidades, ele oferece a possibilidade de se criar uma rede para “visitantes”, como exemplo, é possível compartilhar a internet em uma recepção da empresa sem que para isso tenha que passar a senha da rede utilizada internamente. Há inclusive a possibilidade de setar o intervalo de tempo que essa rede fica ativa, ou seja, da para deixá-la funcionando apenas em horário comercial. Vale destacar também que a rede de visitantes fica separada da rede “normal” do roteador, evitando possíveis problemas de acesso entre máquinas sem autorização.

A empresa criou uma série de vídeo tutoriais que explicam como configurar algumas das funcionalidades de seus roteadores, para conferir todos os vídeos, confira o canal da D-Link no youtube.

Atualização de Firmware
A interface do roteador possui um sistema para checar novos firmwares, que mostra apenas versões oficiais e já homologadas. Caso queira baixar versões ainda em fase beta, utilize o link abaixo.

OBS.: Para quem quiser baixar as versões mais recentes do link internacional da D-Link, clique aqui. Vale ressaltar que a empresa só recomenda a atualização caso você esteja enfrentando problemas com o produto. Essas versões beta tem outro porém, em muitas delas novas funcionalidades são adicionadas, dessa forma alguns dos textos estão em inglês, só devem ser traduzidos quando uma versão oficial for lançada.

Testes
Para verificar a qualidade de sinal do roteador, e também medir sua performance, realizamos dois testes. Primeiro medimos a intensidade do sinal, tanto na rede 2.4GHz quanto 5GHz. Depois, conectamos um notebook via cabo e usamos outro computador, ligado via rede wireless, para transferir arquivos e medir o tempo necessário para a finalizá-la. Em ambos os casos, os dispositivos conectados via rede sem fio estão a aproximadamente 10 metros do roteador, com duas paredes entre o gadget e o dispositivo da análise.

filtros

10 metros e duas barreiras

Rodapé

filtros

10 metros e duas barreiras

Rodapé

O D-link se saiu muito bem em nossos testes, superando com folga o outro modelo do comparativo, o Cisco E2500. A vantagem da frequência de 2.4GHz sobre os 5GHz acontece pela situação de nosso teste, onde há várias obstruções (vocês podem entender melhor esta diferença nesta página aqui).

Conclusão
O roteador DIR-868L da D-Link é direcionado a usuários que procuram um produto com tecnologias diferenciadas e controles avançados.

Seu design é um de seus principais atrativos, a D-Link buscou criar um produto diferente do que estamos acostumado a ver, com formato “torre”. De acordo com a empresa, um dos motivos desse formato é oferecer melhor sinal das antenas, diga-se de passagem, 6 no total para esse modelo. Seu material é todo em black piano, sem aquela “montoeira” de LEDs já normais nesse tipo de produtos. Por outro lado, soluções “deitadas” podem ser mais atrativas visualmente em algumas situações, como o DIR-868L feito para ficar em pé, se deita-lo pode acabar que riscando, sem contar a possível perda de qualidade no sinal pelo posicionamento das antenas.

Como destaque em tecnologias, a quinta geração da tecnologia Wi-Fi com conexões de 200 + 867 Mbps, frequências de 2.4GHz e 5GHz, que se tornaram padrão em vários roteadores de segmento intermediário, também podemos destacar o trafego dual band, que possibilita diversos dispositivos conectados sem que um interfira na velocidade de outro e perda de sinal. Conexões Gigabit, ainda que na grande maioria dos casos as conexões de rede física não são limitadores nesse tipo de produto, ou seja, 100mbps atende a grande maioria dos usuários. Temos também uma conexão USB 3.0 que pode ser utilizada para compartilhar dispositivos na rede, desde impressoras a modem ou dispositivos de armazenamento.

A interface de controle bastante avançada das configurações do roteador vai ser um prato cheio para que busca algo mais nesse sentido. Entre as diversas funções que não costumamos encontrar em roteadores normais, temos a possibilidade de se criar redes Wireless para convidados, como opção dessa rede, que vale destacar, é outra rede e não compartilha as conexões das outras redes dele, podemos setar horários para ela ficar ativa, ex.: a conexão “Convidados 2.4GHz” ficará ativa entre 8:00 e 18:00, bastante interessante não? Para ficar melhor e perfeito, deveria ter um limite de trafego para as conexões dessa rede, explico, possibilitar que no máximo 30kbps possa ser trafegado por uma determinada conexão, evitando assim “sanguessugas” na rede de convidado, que pode ser aberta ou com senha.

Mas como sempre, um produto diferenciado como o DIR-868L tem um custo, e não é barato. No Brasil ele tem preço médio de R$ 750,00, valor alto, muito alto. Por ser um produto com muitos diferenciais, especialmente em tecnologias, já era esperado que custaria acima da média, mas algo em torno de R$500 ou no máximo R$600 ainda seria aceitável, especialmente porque atualmente várias operadoras de internet já oferecem modens com roteador wireless, limitando mais a compra desse tipo de produto, mesmo sendo esse modelo destinado a usuários bem mais específicos. O grande problema para um produto com esse valor é não ser difícil encontrar modelos de bom desempenho com tecnologias como 300 + 300 Mbps, conexão USB e Gigabit custando entre de R$300 e R$400, como o próprio DIR-645 N da D-Link, na Kabum, custando pouco menos de R$250.

Prós

  • Excelente acabamento
  • O que existe de melhor em tecnologias para roteadores como: rede 2.4GHz e 5.0GHz, porta USB 3.0, conexões Gigabit
  • Controle avançado de todas as conexões que passam pelo roteador
  • Controle avançado das opções de segurança e gerenciamento
  • Possibilidade de criar rede de convidados

Contras

  • Muito, muito caro
  • Formato desenvolvido para ficar apenas em pé
  • Faltou controle de limite de velocidade na rede de convidados

Publicado por: Ghttp://adrenaline.uol.com.br/rss/0/0/tudo.xml - Continue lendo: http://adrenaline.uol.com.br/rss/0/23/reviews.xml

Tags: , ,

Eu gostaria de estudar nesta escola futurista espetacular

Gostaria de voltar a ter 16 anos para me matricular nesta escola futurista em Hong Kong, a Island School, um prédio de 28.000 metros quadrados que se mistura com o cenário. De dentro, parece uma nave espacial. Por fora, uma estrutura que desafia a gravidade.

19dyrb9ph672ujpg

Segundo o ArchDaily:

“O átrio é o coração da escola,” explica Bjarne Hammer, sócio-fundador da Schmidt Hammer Lassen Architects. “Com suas varandas, pendurando verdes e jardins, ela funciona como um espaço de encontro social informal onde os alunos podem se encontrar e interagir. A vegetação cria uma atmosfera relaxante e contribui positivamente para o ambiente de aprendizado.”

19dyrb9pf36rajpg

É verdade. O verde sempre cria uma atmosfera relaxante.

  • DESTAQUES
  • RELACIONADOS
  • POPULARES


GVT Music Live Show Cazuza

A tecnologia fantasmagórica do show de Cazuza convence — mas não, não pode ser chamada de holografia


9W8C1189

David Baker: “Ninguém precisa abandonar a tecnologia, mas é necessário experimentar momentos de desconexão”


ku-xlarge-1

30 anos depois, o primeiro delator da NSA conta todos os detalhes de sua história


L1030476

Registrando o encontro entre Banksy e Osgemeos, em Nova York


k-bigpic (13)

Após várias polêmicas, logos das Olimpíadas de 2020 ficaram muito sem graça


vaderhouseee

A casa suburbana do Darth Vader


gmail

Google criou o logotipo perfeito do Gmail na noite antes do prazo


googlemobiledesign

Google Mobile agora é um grande e belo superwebapp


Vídeo assustador mostra garotos destemidos se segurando no topo de prédios com apenas uma mão

Vídeo assustador mostra garotos destemidos se segurando no topo de prédios com apenas uma mão


Fotos chocantes do local onde serão realizadas provas aquáticas das Olimpíadas do Rio de Janeiro

Fotos chocantes do local onde serão realizadas provas aquáticas das Olimpíadas do Rio de Janeiro


O céu fica incrível visto do lugar mais escuro e mais nítido da Terra

O céu fica incrível visto do lugar mais escuro e mais nítido da Terra


Veja este navio de cruzeiro ser cortado ao meio e ficar 30 m mais longo

Veja este navio de cruzeiro ser cortado ao meio e ficar 30 m mais longo

Publicado por: Gizmodo - Continue lendo: izmoizmododohttp://feeds.feedburner.com/gizmodobr

Tags: , ,

Square Enix Looks to Take On ‘Clash of Clans’ with Upcoming RTS ‘Dragon Sky’

Supercell’s Clash of Clans [Free] is one of the most popular iOS games in existence, and naturally everyone and their brother are trying to get in on the action with their own versions of the “social RTS.” Now it looks like you can add Square Enix to that list, as a post over at NeoGaf has unearthed an upcoming RTS from them called Dragon Sky which sounds quite similar to the Clash of Clans formula where you’ll build up your own base and attack the bases of opponents online. In addition, you’ll be able to team up with other players to take down massive raid bosses, and there will be a single-player component with an accompanying story to play through.

dragonskydragonsky

There is an official Japanese website set up for Dragon Sky where this information comes from, and the game is said to be “coming soon” to both iOS and Android. There’s more information on Dragon Sky in the NeoGaf thread including additional screens and a breakdown of the main characters, and once we have any news from Square Enix when the game will launch or even if it is planned for a Western release we’ll be sure to let you know.

[NeoGaf]

Publicado por: TouchArcade - Continue lendo: http://toucharcade.com/feed/

Tags: