Receba atualizações no seu Facebook. Basta curtir a nossa página abaixo:

 

Por que atualizações rápidas do Android não importam tanto quanto antes

Desde os dias do HTC G1, primeiro smartphone com Android, as atualizações do sistema são vistas como o Santo Graal de novas funcionalidades e melhorias de software. Mas talvez seja a hora para deixar de lado a obsessão com uma nova iteração 0.1 do robozinho.

Nos últimos dois anos, após o Android 4.1 – com Google Now e Project Butter – vimos atualizações pequenas saírem do Google, que manteve o sistema na versão 4.x. Há boas razões para isso, como discutiremos abaixo. Talvez valha a pena desejar muito uma futura versão Android 5.0, mas se preocupar com iterações menores é desnecessário para a maioria. Eis os motivos.

Novos recursos não dependem de atualizar o Android

Atualmente, as atualizações do Android funcionam um pouco diferente das iterações de outros sistemas operacionais. No Windows, OS X, iOS, distribuições do Linux ou qualquer outro, uma atualização traz novas funcionalidades centrais (e talvez até uma nova interface).

Isto vale um pouco para o Android, porém o Google vem cada vez mais usando o Play Services para implementar novas funcionalidades em todo o sistema. Além disso, a empresa traz novas funcionalidades atualizando apps individuais, ao invés de reuni-los numa outra versão do sistema.

Nos tempos antigos do Android, para receber novos recursos, quase sempre era preciso conseguir a versão mais recente do sistema operacional. No entanto, ao longo do último ano, vários apps e recursos foram adicionados ou melhorados sem uma atualização do Android. Eis uma lista não exaustiva:

  • Gmail
  • Calendário
  • Mensagens (Hangouts)
  • Mapas
  • Keep
  • Drive
  • Google Now
  • Chrome
  • Play Store
  • Play Games
  • Notificações sincronizadas
  • Geofencing
  • Reconhecimento de atividade (o app sabe se você está andando, dirigindo etc.)

Para comparação, eis algumas das funcionalidades que as novas versões do Android lançadas em 2013 (4.3 e 4.4) trouxeram para os usuários:

  • Perfis restritos em tablets
  • Melhorias no discador
  • Integração de impressão na nuvem
  • App Downloads atualizado

As funções acima podem ser importantes, mas não são algo que todos clamariam para ter. Mesmo assim, ainda haveria alguma razão para se desejar atualizações do Android o mais rápido possível – isto pode não ser relevante para todos os usuários, mas é para alguns. No entanto, existem desvantagens em receber atualizações tão rápido.

Atualizações do Android às vezes trazem grandes bugs

android slow down (1)

As novas versões do Android nem sempre chegam sem problemas. Para quem quer atualizações rápidas do sistema por até 18 meses, a recomendação é obter um dispositivo Nexus. No entanto, eis alguns dos bugs conhecidos que vieram com as novas versões do Android ou em um novo Nexus:

Isso sem mencionar os apps que, por algum tempo, ficam incompatíveis com novas versões do Android. O HBO Go, por exemplo, ficou dois meses sem funcionar na versão 4.3.

Vale notar que nem sempre todos são afetados por bugs em uma nova versão do Android (e alguns deles estão limitados a hardware Nexus). No entanto, receber atualizações o mais rápido possível significa que você provavelmente estará exposto a mais bugs do que o normal.

Para os early adopters, os entusiastas, isso é aceitável: para eles, bugs fazem parte do pacote. No entanto, para quem não está interessado ​​em ser beta tester – e especialmente para os usuários comuns – ser o primeiro da fila pode não ser tão bom assim.

Novos recursos do Android aparecem em versões anteriores do sistema

android slow down (2)

Há alguns novos recursos do Android que podem ser usados imediatamente. No entanto, muitos outros demoram um longo tempo até serem adotados por desenvolvedores: minhas notificações ainda não sincronizam através de dispositivos na maioria dos apps. Outras nem mesmo chegam à maioria do hardware devido à personalização das fabricantes.

Eis alguns dos novos recursos do Android que ou acabaram chegando às versões anteriores do OS, ou não interessariam muito para os early adopters:

  • Google Now é integrado à tela inicial: esse recurso já estava disponível não-oficialmente quase de imediato para dispositivos com Android 4.1 ou superior.
  • Hangouts ganha suporte a SMS, GIFs animados e compartilhamento de localização: isto chegou a todos os usuários com Android 4.x uma semana após o anúncio do KitKat.
  • Teclado do Google ganhou emoji: alguns dos emoji foram colocados no teclado disponível na Play Store (embora outros emoji estejam disponíveis apenas no 4.4).
  • Modo imersivo permite que apps preencham a tela inteira: uma das muitas funções que requerem o apoio dos desenvolvedores, e muitos não têm incentivo para implementá-lo até que o OS seja distribuído amplamente.
  • Melhorias no desempenho e consumo de memória: isso é bacana, mas para dispositivos high-end, a maior parte das melhorias não serão perceptíveis, e muitos dispositivos low-end – que poderiam se beneficiar com isso – nem devem ser atualizados.
  • Tela de bloqueio traz capa do álbum quando você ouve música: esse recurso provavelmente não vai aparecer em um dispositivos Android com skin da HTC , Samsung ou LG.

Como você pode ver, a maioria dos recursos mais novos do Android ou não afeta o telefone moderno que você comprou para garantir atualizações rápidas, ou são coisas que você pode obter imediatamente de outra forma.

E, listadas no site oficial do Google, há várias coisas que já existiam para os usuários de versões anteriores, como o QuickOffice gratuito, o Android Device Manager e suporte ao Chromecast. Eis uma lista de alguns dos novos recursos do Android que são verdadeiramente úteis, realmente diferentes de versões mais antigas, e só disponíveis para quem tem a versão mais recente do Android:

  • Um novo discador inteligente: isso é bem bacana, e até mesmo versões não-oficiais requerem o KitKat para os recursos inteligentes funcionarem.
  • O app de downloads e seletor de arquivos foi renovado: ele ficou um pouco mais fácil de usar, e reúne armazenamento local e na nuvem em um só lugar.
  • Agora você pode imprimir a partir do Android: caso você precise imprimir do seu smartphone ou tablet.

Esta não é uma lista abrangente de tudo que foi adicionado ao Android na versão 4.4, mas demonstra um ponto: quando se trata de novos recursos, é meio improvável que surja algo realmente importante para você – a menos que suporte a Bluetooth MAP seja a coisa mais importante do mundo para você.

Atualizações ainda vão demorar uma eternidade (mas tudo bem)

android slow down (2)

Mesmo com tudo o que listamos acima, talvez você ainda queira a mais nova versão do Android agora mesmo. E ainda ficaremos incomodados por quase nunca estarmos na versão mais recente, pelo menos até o Google parar de lançar novas versões a cada seis meses.

No mês passado, a HTC mostrou como funciona o processo de atualizar o Android – clique aqui para ver o infográfico. Eis a versão resumida: é algo muito longo, muito complexo, e exige que várias empresas diferentes trabalhem em conjunto muito rapidamente. Dito de outra forma, é uma bagunça – mas você já sabia disso.

Embora o Google ofereça um Kit de Desenvolvimento de Plataforma (PDK) para os fabricantes antes de novos lançamentos, na esperança de acelerar o processo, isso não adianta muito. Quando a HTC ou a Samsung terminam seus próprios ajustes para uma atualização, eles passam tudo para as operadoras, que precisam realizar seus próprios testes. Quando tudo está pronto, o Google já se prepara – ou já lançou! – uma nova versão.

No entanto, à medida que mais e mais peças críticas do ecossistema do Google foram separadas do Android e levadas para o Play Services ou para a Play Store, diminui a importância de estar na versão mais recente do Android.

Se você quiser fazer parte desse grupo seleto que pode se gabar de sempre ter atualizações, você tem o Nexus ou as Google Play Editions disponíveis para você – ou, caso o Google interrompa as atualizações, há ROMs personalizadas. Não é o seu caso? Então fique de olho na Play Store: é lá que você vai encontrar apps novos e gratuitos para deixar seu smartphone ou tablet ainda mais incrível do que já é.

  • DESTAQUES
  • RELACIONADOS
  • POPULARES


GVT Music Live Show Cazuza

A tecnologia fantasmagórica do show de Cazuza convence — mas não, não pode ser chamada de holografia


9W8C1189

David Baker: “Ninguém precisa abandonar a tecnologia, mas é necessário experimentar momentos de desconexão”


ku-xlarge-1

30 anos depois, o primeiro delator da NSA conta todos os detalhes de sua história


L1030476

Registrando o encontro entre Banksy e Osgemeos, em Nova York


prxpu.jpeg

Nokia N9 rodando o Android 4.0?


Galaxy S III na Vivo.

Operadoras nacionais se preparam para a chegada do Galaxy S III


Google Maps ficou ainda melhor nos navegadores do Android e iOS


Chrome é o último browser em pé na Pwn2Own


Por que uma marca de cerveja quer que você beba menos?

Por que uma marca de cerveja quer que você beba menos?


Sabe os códigos de programação que aparecem nos filmes? Eis o que eles significam

Sabe os códigos de programação que aparecem nos filmes? Eis o que eles significam


Fotos espetaculares da maior caverna do mundo fazem humanos parecerem minúsculos

Fotos espetaculares da maior caverna do mundo fazem humanos parecerem minúsculos


Foi aberta nos Estados Unidos a primeira biblioteca pública que não tem livros físicos

Foi aberta nos Estados Unidos a primeira biblioteca pública que não tem livros físicos

Publicado por: Gizmodo - Continue lendo: izmoizmododohttp://feeds.feedburner.com/gizmodobr

Tags: , ,

Asus MARS 760

O laboratório de testes do Adrenaline foi brindado há alguns dias com a ASUS MARS 760. Pertencente ao selo premium da ASUS, a Republic of Gamers (ROG), a VGA ostente ainda o imponente nome MARS, exclusivo para GeForces altamente diferenciadas da companhia.

Embora no passado a linha MARS tenha sido utilizado em chips topo de linhas, como foi o caso da MARS original com a GT200 (GTX 295), e da MARS II com a GF110 (GTX 580), desta vez a ASUS inova, ao utilizar o chip intermediário de alto desempenho da NVIDIA, o GK104. Mas não deixe-se enganar pelas aparências. Como poderá ser constatado em nossos testes, a MARS 760 é uma placa digna de respeito, superando algumas “todas poderosas” do mercado, como é o caso da GTX TITAN. O segredo? A utilização de dois chips GK104. Em outras palavras, trata-se de uma espécie de duas GeForces GTX 760 em SLI interno, em um único PCB.

Analisando a tabela acima, a placa segue praticamente à risca as especifacações de uma GeForce GTX 760 padrão. A única exceção fica por conta dos clocks da GPU, que sai de 980MHz para 1006MHz (incremento de 2,6%) no modo base, e de 1033MHz para 1072MHz em modo turbo/boost (ganho de 3,8%). As memórias se mantém inalteradas em 6008MHz. Por se tratar de uma VGA da linha MARS, tratam-se de clocks bastante tímidos. 

Fazendo uma análise minuciosa, a MARS 760 tem a mesma quantidade de CUDA Cores e TMUs que a GTX 780, com vantagem para a VGA da ASUS em relação aos ROPs (64 x 48) e aos clocks da GPU (1006MHz/1072MHz x 863MHz/900MHz). Quanto a interface de memória, a GTX 780 tem bus de 512 bits, enquanto que a dual GPU tem bus duplo de 256 bits. Apesar de no geral possuir números desfavorávesis em relação à GTX TITAN, a MARS 760 tem a seu favor as frequencias de operação do chip gráfico (1006MHz/1072MHz x 836MHz/876MHz) e os ROPs (64 x 48), além do bus duplo de 256 bits contra um single de 384 bits.

A ASUS afirma que a MARS 760 é a opção ideal para quem utiliza jogos em 2560×1440pixels (WQHD), sendo ainda considerada ótima para 1920×1080 pixels e 2560×1600 pixels. Entretanto, se o gamer utiliza configurações “extremas”, ou seja, em 4K, ou com múltiplos monitores, os 2GB de VRAM disponíveis para cada GPU representam um obstáculo, uma vez que os 4GB da placa não são compartilhados entre os dois chips, como ocorre com uma configuração SLI multi-GPU tradicional da NVIDIA. 

Apesar de não contar com os chips mais poderosos existentes da NVIDIA, a ASUS não economizou em termos de diferenciais na MARS 760. A placa esbanja predicados, a começar com o projeto totalmente personalizado, ressaltando a sua robustez.

O PCB possui componentes do mais alto padrão, garantindo assim maior vida útil, estabilidade e potencial de overclock. A placa de circuito impressa é revestida na parte de trás por uma placa de alumínio, enquanto que na parte frontal há uma armação, como forma de reforçar a estrutura e auxiliar na dissipação térmica.

Por falar em dissipação, a MARS 760 possui um dos sistemas de refrigeração mais eficientes do mercado, o DirectCU II, composto por 8 dutos de dissipação e duas ventoinhas à prova de poeira.

Tecnologias
Abaixo listamos algumas das principais tecnologias da MARS 760 da ASUS.

14% mais rápida que a GTX Titan
A Mars 760 possui duas GPUs GTX 760 e promete performance superior à GTX Titan. Os 4GB de memória de vídeo GDDR5 oferecem bons ganhos visuais, com altas taxas de frames e sem “engasgos”.

DirectCU II
A tecnologia DirectCU II coloca oito tubos de cobre em contato direto com as duas GPUs. Elas fazem com que as temperaturas fiquem 20% menores e que a operação seja mais silenciosa que a GTX 690, placa de vídeo topo de linha da geração GeForce 600, também com dois GPUs.

Ventoinhas a prova de poeira
As ventoinhas da MARS 760 prometem dissipar o calor de forma eficiente. À prova de poeira, elas fazem com que o tempo de vida útil da placa aumente em até 25%.

DIGI+ VRM com Super Alloy Power
A Mars 760 possui o módulo de regulação de voltagem/tensão DIGI+ de 12 fases que reduz o ruído em até 30% e melhora a eficiência energética em até 15%. Ele também amplia a tolerância de modulação de voltagem/tensão, melhora a estabilidade e aumenta a longevidade em até 2,5 vezes.

Os capacitores também ajudam na temperatura. Feitos de metal, oferecem temperaturas 20% melhores e duram 5 vezes mais. Os POSCAPs oferecem ruídos menores, melhorias no overclock e melhoram a estabilidade em relação aos padrões de design.

Luz de LED Mars
A placa possui uma luz de LED vermelha, cor da linha ROG, acusando quando a placa está em uso.

Edição ROG do GPU Tweak
O GPU Tweak ajuda a modificar velocidades de clock, voltagem/tensão, performance da ventoinha e mais, tudo via uma interface bem intuitiva. A função GPU Tweak Streaming possibilita, ainda, compartilhar o conteúdo do monitor na internet em tempo real, permitindo, por exemplo, que outros usuários vejam um live do game que o usuário está jogando.

Fotos e vídeo
Nas fotos a seguir é possível constatar o excelente acabamento da placa, como já destacado, por ser um modelo com dois GPUs GeForce GTX 760, tem seu projeto totalmente diferente de uma placa referência.

Além de ser maior por questões lógicas, a MARS 760 se destacada pelo sistema de cooler, muito bonito e com excelente acabamento, inclusive com um LED na parte superior que “acende” quando a placa está em uso. Seu sistema de cooler DirectCU II promete melhorar bastante a eficiência quando se trata de temperatura e ruídos gerados pela placa, especialmente em overclock.

Reparem abaixo que a MARS 760 possui somente um conector SLI, sendo possível colocar “apenas” duas placas trabalhando em paralelo, o que na prática representa um Quad-SLI, ou seja, 4 placas em conjunto, uma vez que ela possui dois chips gráficos. Por isso essa “limitação” de apenas um conector. Outro detalhe, é que devido ser um modelo dual GPU, requer mais energia do que uma GTX 760 tradicional. Assim, foi adicionado dois conectores de alimentação de 8 pinos.

Também fizemos um vídeo apresentando a placa, confiram abaixo:

Abaixo colocamos a MARS 760 ao lado de uma GeForce GTX 760 de referência, onde é possível constatar com clareza a diferença de acabamento, tamanho e formato das placas.

Além de ser bem maior, a placa da ASUS, como já destacado, possui apenas um conector SLI e diferente de dois conectores de 6 pinos de energia, possui dois conectores de 8 pinos para sua alimentação. 

Publicado por: Ghttp://adrenaline.uol.com.br/rss/0/0/tudo.xml - Continue lendo: http://adrenaline.uol.com.br/rss/0/23/reviews.xml

Tags: , ,

Estes sites emulam versões antigas do Windows e Mac OS usando apenas seu navegador

Emuladores trazem uma dose saudável de nostalgia, nos fazendo lembrar como tudo era mais simples na nossa época. Mas instalar o emulador e caçar uma cópia funcional do seu OS antigo não é muito divertido. Felizmente, o Ars Technica reuniu uma lista com emuladores de Windows e Mac OS que só requerem um navegador web. Bem mais fácil!

O primeiro da lista é o emulador do Windows 1.01 para o seu navegador; já falamos sobre ele aqui. Teste-o neste link!

Avançando um pouco mais no tempo, temos o Windows 95 e 98, disponíveis no VirtualDesktop.org - clique aqui para experimentar. Como eles requerem mais recursos, o emulador é mais restrito; mesmo assim, vale a pena a visita.

O meu favorito é o emulador de Mac OS System 7 criado por James Friend - teste-o neste link - porque ele até roda em uma tela feita para parecer com um Macintosh Plus.

Mas alguns sistemas, apesar de antigos, não trazem muita nostalgia. É o caso do Windows XP – recriado neste link pelo Total Emulator – porque ele ainda roda em muitos computadores hoje em dia, e até em um caixa eletrônico não muito longe de você.

Todas as sete opções encontradas pelo Ars Technica são bacanas de experimentar. Confira a lista completa aqui: [Ars Technica]

  • DESTAQUES
  • RELACIONADOS
  • POPULARES


GVT Music Live Show Cazuza

A tecnologia fantasmagórica do show de Cazuza convence — mas não, não pode ser chamada de holografia


9W8C1189

David Baker: “Ninguém precisa abandonar a tecnologia, mas é necessário experimentar momentos de desconexão”


ku-xlarge-1

30 anos depois, o primeiro delator da NSA conta todos os detalhes de sua história


L1030476

Registrando o encontro entre Banksy e Osgemeos, em Nova York


ku-bigpic

[Hands-on] Surface 2 e Surface Pro 2: a mesma coisa (em um bom sentido)


Chrome everywhere.

Chrome chega hoje ao iOS com sincronia de dados e modo privado


Pode apostar: o Chrome OS vai chegar em smartphones


Por que uma marca de cerveja quer que você beba menos?

Por que uma marca de cerveja quer que você beba menos?


Sabe os códigos de programação que aparecem nos filmes? Eis o que eles significam

Sabe os códigos de programação que aparecem nos filmes? Eis o que eles significam


Foi aberta nos Estados Unidos a primeira biblioteca pública que não tem livros físicos

Foi aberta nos Estados Unidos a primeira biblioteca pública que não tem livros físicos


Fotos espetaculares da maior caverna do mundo fazem humanos parecerem minúsculos

Fotos espetaculares da maior caverna do mundo fazem humanos parecerem minúsculos

Publicado por: Gizmodo - Continue lendo: izmoizmododohttp://feeds.feedburner.com/gizmodobr

Tags: , ,

TA Plays Live: Freaky Friday Game Requests [Offline]

Logo

LogoIt’s Friday afternoon, and what better way to round out the week than spend it streaming some weird games on Twitch.tv? Doing this has been a ton of fun, and the community we’re starting to cultivate over there has been absolutely incredible so far.

So here’s how this works: Sign up for Twitch if you haven’t already, follow the TouchArcade channel, and get in chat to tell me what games you want to see played. If it works with my capture hardware, and it’s available in the App Store, I’ll get it and play it. Alternatively, if you just want to watch, the video is below.

Update: Stream is over, here’s the video. It might take a while to show up properly on YouTube-

Games Played:

Publicado por: TouchArcade - Continue lendo: http://toucharcade.com/feed/

Tags:

Em protótipo, Mozilla prepara Firefox OS para rodar em tablets

Android, iOS e Windows (Phone) dominam o mercado de dispositivos móveis, mas há empresas que querem seu espaço, apostando em funcionalidades novas ou em preços baixos. Este é o caso da Mozilla, que mira nos mercados emergentes com seu Firefox OS. Após estrear em celulares baratos no ano passado, o sistema vai aparecer em tablets também.

A Mozilla está usando um tablet fabricado pela Foxconn para testar o Firefox OS em telas maiores. Trata-se do Infocus New tab F1, que normalmente roda Android. Ele foi lançado na China em dezembro por 1.199 yuans (cerca de R$ 460).

As especificações são simples: por fora, uma tela IPS de 10 polegadas com apenas 1280×800 pixels; por dentro, um processador A31 quad-core de 1GHz, da chinesa Allwinner, com chip gráfico PowerVR. São 16 GB de memória interna e generosos 2 GB de RAM. Os detalhes completos – incluindo câmeras e sensores – estão aqui.

firefox os tablet 2

Vale notar que a Mozilla não vai necessariamente lançar o Firefox OS neste dispositivo; ainda estamos na fase de testes. E não há um prazo para ver o sistema em tablets, mas suas parceiras de smartphone – como a LG e a ZTE – já têm experiência neles.

Os primeiros celulares com Firefox OS foram lançados em julho na Europa, e em outubro no Brasil, custando até R$ 449.

A Mozilla não é a única interessada em tablets: a Canonical lançará uma versão finalizada do Ubuntu para telas maiores em abril. Ele já está disponível para teste em dispositivos Nexus, e não-oficialmente em outros tablets. [Mozilla via The Verge; imagem via]

  • DESTAQUES
  • RELACIONADOS
  • POPULARES


GVT Music Live Show Cazuza

A tecnologia fantasmagórica do show de Cazuza convence — mas não, não pode ser chamada de holografia


9W8C1189

David Baker: “Ninguém precisa abandonar a tecnologia, mas é necessário experimentar momentos de desconexão”


ku-xlarge-1

30 anos depois, o primeiro delator da NSA conta todos os detalhes de sua história


L1030476

Registrando o encontro entre Banksy e Osgemeos, em Nova York


paulobernardo

Tablet popular no Brasil começa a virar realidade


spark-mer

O tablet que todo amante de Linux estava esperando


transformer-xoom

Tablets com Android já estão mais baratos por causa dos incentivos do governo?


500x_sonytablet

Provável tablet da Sony terá curvas malucas


Por que uma marca de cerveja quer que você beba menos?

Por que uma marca de cerveja quer que você beba menos?


Sabe os códigos de programação que aparecem nos filmes? Eis o que eles significam

Sabe os códigos de programação que aparecem nos filmes? Eis o que eles significam


Foi aberta nos Estados Unidos a primeira biblioteca pública que não tem livros físicos

Foi aberta nos Estados Unidos a primeira biblioteca pública que não tem livros físicos


Fotos espetaculares da maior caverna do mundo fazem humanos parecerem minúsculos

Fotos espetaculares da maior caverna do mundo fazem humanos parecerem minúsculos

Publicado por: Gizmodo - Continue lendo: izmoizmododohttp://feeds.feedburner.com/gizmodobr

Tags: , ,