Receba atualizações no seu Facebook. Basta curtir a nossa página abaixo:

 

Você consegue notar a diferença do som em arquivos de alta qualidade? Teste seus ouvidos.

Esse é um teste muito simples que alterna entre um arquivo de música de altíssima qualidade e um arquivo bem mais ou menos. Você consegue perceber a diferença?

Por anos nós temos acompanhando a discussão sobre o MP3 destruir a música por causa da compressão. Mas será que as pessoas realmente conseguem notar a diferença? Agora existe um serviço de streaming de músicas que é o primeiro a oferecer arquivos de alta qualidade, o Tidal. E num esforço para encontrar assinantes, a empresa fez esse teste. Experimente e o teste vai tocar uma música e permitir que você alterne entre as versões de alta a baixa qualidade de cinco canções. Aí você tem que adivinhar qual das duas é a versão com menos perda por compressão. Esse é um teste cego A/B, o que significa que não há como você saber qual é a versão em alta antes de fazê-lo — uma das melhores maneiras de eliminar seus vieses e preconceitos na hora de fazer a escolha.

Uma série de coisas pode afetar a sua capacidade de apontar ou não a diferença entre a versão sem perdas e a versão comprimida da música: a acurácia da sua audição, o treino que faz com que você saiba pelo que deve procurar nas diferentes versões e a qualidade do seu equipamento.

Tidal

Eu consegui acertar 4/5 com meus fones de ouvido medianos, mas é muito mais difícil do que parece. E se eu não tivesse apertado os fones contra a minha cabeça pra ouvir muito cuidadosamente, é possível que eu não tivesse acertado tantos assim. Se a sua pontuação for muito baixa, talvez você não seja o tipo de pessoa que precisa investir em arquivos de áudio sem perda de qualidade ou em super equipamentos de som. O que é bom, porque faz com que as coisas fiquem mais baratas para você.

Conte para a gente como você se saiu nos comentários.

[Tidal]

  • RELACIONADOS
  • DESTAQUES
  • POPULARES


Teste do YouTube Music Key

[Hands-on] YouTube Music Key: fazer streaming de música nunca foi tão fácil


play musica 1

Guarde suas músicas na nuvem usando o Google Play Música e faça streaming de qualquer lugar


Manhattan Times Square colorful Googleplay playmusic building, NYC, at night

Google Play Música Acesso Ilimitado: streaming no Android, iOS e web a partir de R$12,90 mensais


Um dos experimentos científicos do vídeo

Um vídeo incrível mostra como experimentos científicos reagem à música


É possível recarregar o cérebro humano?

É possível estimular o cérebro humano para melhorá-lo?


viajante futuro

Um breve histórico dos cientistas que tentaram caçar viajantes do tempo


programador

Conselhos de um velho programador antissocial e ranzinza


The Fermi Paradox (1)

O Paradoxo de Fermi: onde é que estão as outras Terras?


1280px-Marco_Feliciano

Deputado propõe ensino de criacionismo nas escolas e cria um debate trava-cabeça


voicebreaksglass

Com iPhone caro demais, imagem da Apple começa a rachar no Brasil


Couro (1)

Como o couro está matando lentamente as pessoas e lugares que o produzem


Um dos experimentos científicos do vídeo

Um vídeo incrível mostra como experimentos científicos reagem à música

Publicado por: Gizmodo - Continue lendo: izmoizmododohttp://feeds.feedburner.com/gizmodobr

Tags: , ,

‘Crystal Siege HD’ for iPad Review



Certainly, tower defense is a genre where it’s difficult to really rock the boat too much, especially since the genre’s evolution was accelerated by the fact that it was a great fit for mobile, and everyone and their mother decided to apply their take on the genre. But hey, the games are still pretty fun, and there’s still the occasional title with a clever twist on the proceedings. Crystal Siege [$4.99 (HD)] from Carrot Games and FDG Entertainment tries to apply an action-RPG take on tower defense, without drifting too much into the action-RPG side of things, like Dungeon Defenders [$2.99] does. As such, this winds up being a take on the genre that does some great things for itself while not rocking the boat too much.

Crystal Siege HD 4Crystal Siege HD 4

The game’s core tower defense is nothing too shocking: place towers at specific spots, and as creeps come in range of them, they take damage. The towers can all be upgraded, and towers feature split upgrades at their third level with different effects. As well, different enhancements can be bought for them in-game. But it’s the hero (sadly with only a male character option) who applies this game’s unique flourish. The hero can fly around the battlefield, and use the mana that’s charged up to unleash powerful magic spells that can attack enemies, trap them, or protect the crystals that the enemies are trying to steal. This mana charges up over time, but it’s also possible to go into combat mode to attack enemies directly, though this all but stops mana generation, so it’s best as a last resort. Players can buy items with the gold they earn for victory to buy weapons, armor, and rings, that can affect attack stats, magic and mana effectiveness, and provide benefits when in range of towers.

There are not a lot of levels in Crystal Siege, really only about 15, but each level takes about 9-10 minutes to beat. That time is fixed, too, as there is no fast-forwarding, which seems like an odd omission given that it’s a feature standard to the genre, and because the levels feel so lengthy, the game could occasionally use a turbo boost. There’s no ability to just freeze the action, either, so tower upgrading has to be done in the heat of battle. Considering that there’s also a character to control in the middle of battle, a little chance to strategize would be welcome, too.

Crystal Siege HD 1Crystal Siege HD 1

This is not necessarily a short game – it will likely take five or six hours to beat the campaign for the first time. Additionally, there are the three difficulties to play in each level, with the last being unlocked once the game is beaten. I do recommend playing later difficulties of levels as soon as possible, though, because while tower upgrades are limited in earlier levels, having powerful items and spells can make earlier levels extremely easy once returning to them. The fire shield was the destroyer of worlds for me, as when buffed up from certain items that boost fire magic, it can take care of enemy waves as they come in to the level.

And with items to equip and a currency to spend, that gets us into the fact that there are in-app purchases here. Don’t worry, there are no $99.99 in-app purchases; the max to spend is $5.99 on 120,000 coins, which will buy incredibly powerful weapons, shields, and rings. Special item sets can also be had for $2.99-$4.99. The game does hand out coins often enough that the IAP is really only there to jump ahead to buy really powerful items. The main campaign on normal difficulty is definitely beatable without any IAP, that’s for sure. The stat upgrades do help, but I don’t believe they’re the end-all, be-all to success. There are potions which can be used in battle, but these are so cheap that they’re only minor expenses, and are great for tough missions.

Crystal Siege HD 5Crystal Siege HD 5

The magic upgrade system is fantastic, in that each level up grants a new magic orb, which is used for the skill trees to unlock new spells. But these skill trees can be reassigned at any point without penalty, so it’s possible to find the right spell loadout for any mission.

The environmental and interactive effects in each level are perhaps the hallmark of this game’s level design. This is otherwise a fixed-path tower defense game, but in some levels, it’s possible to close off paths by using a water pump. In one level, it’s possible to melt an iceway by using a fire spell, which will also drop enemies off into the drink. This can also be mixed in with different spells. I like to use the Twister spell to drag enemies to an ice bridge, then melt it, killing several powerful enemies at once. Some levels have weapons that charge up, or limited-use items to help forestall enemy attacks. While the levels themselves have plenty of variety in terms of number of entry points and bases to protect, the environments make sure each level really feels like an individual experience.

Crystal Siege HD 3Crystal Siege HD 3

It’s the active strategization that makes Crystal Siege really feel special. I feel so much more into a battle in this game than most tower defense games. The towers offer enough variety and choice that it feels like I can use my preferred strategy to win. I like to focus on making the enemy-slowing towers as strong as possible, then using Twister to cluster a bunch of enemies together, utilizing the Flame Shield to deal loads of damage to enemies at once, with my items focused on making my fire spells as powerful as possible, and my mana economy and regeneration at such a point where I can rarely need to use a potion to refill my mana from my spell usage. But there’s plenty of room for a variety of strategies.

iPad owners who love tower defense need to give Crystal Siege a shot. The blend of RPG elements with tower defense makes for a fantastic combination, one that feels rather involved. And people who don’t like tower defense games might enjoy this in particular because it is so action-oriented. I’m not really sure why this is an iPad exclusive, as while the levels are really designed for the 4:3 iPad aspect ratio, some levels have scrolling elements, too. Add in some zooming or possibly tweak the levels for 16:9 aspect ratios, and it feels like this game could easily work on phones, as is the plan. Some of the detailed visuals and animations will be lost on smaller screens, sure, but I see no reason why this game can’t be playable on phones. As such, people who don’t own iPads will just have to wait patiently until this finally releases for iPhone, but it’ll be worth the wait.

Publicado por: TouchArcade - Continue lendo: http://toucharcade.com/feed/

Tags:

O site bizarro que faz streaming de câmeras de segurança está com os dias contados

Nós falamos por aqui sobre o Insecam, um site russo que permite espiar câmeras de circuito interno ao redor do mundo. Seu criador diz que o objetivo é mostrar o perigo de não mudar a senha padrão nessas câmeras, que são ligadas à internet. Mas autoridades do Reino Unido querem fechar o site o mais rápido possível.

O comissário britânico Christopher Graham pediu às autoridades russas que tomem medidas imediatamente para desativar o Insecam. Caso não cooperem, ele trabalhará com os EUA para forçar a derrubada do site.

Graham reconhece que o site ajudou a destacar como as câmeras de segurança e webcams podem ser inseguras – afinal, a senha padrão delas está facilmente disponível online. Por isso, ele reforça: se você tem uma câmera dessas, mude a senha.

O Insecam existe desde setembro. Por que o Reino Unido está agindo só agora? Ele diz à BBC Radio 4:

Nós só o descobrimos há cerca de 24 horas. Este é um site muito obscuro, comandado por russos, registrado em um território marítimo administrado pela Austrália; me desculpe se você sabia sobre isso e eu, não.

O site faz streaming ao vivo de casas, escritórios, academias e outros locais – e ao lado do vídeo, mostra um Google Maps com o local sendo espionado. O Guardian nota que usuários do Reddit estão caçando câmeras para espiar mulheres à distância, vendo-as tirar a roupa e fazer outras intimidades.

O Insecam tinha 73.000 câmeras de segurança catalogadas no início do mês, mas hoje só contamos 17.000 no total – incluindo 291 no Brasil. Será que as pessoas estão trocando a senha padrão?

Infelizmente, mesmo que o Insecam seja derrubado, outros poderão aparecer. Na verdade, o Guardian diz que descobriu um site semelhante hospedado nos EUA, sem dizer qual. [The Guardian]

  • RELACIONADOS
  • DESTAQUES
  • POPULARES


whatsappmessenger_041633046276_640x360 (1)

WhatsApp agora tem criptografia de ponta a ponta para suas mensagens


APTOPIX NSA Phone Records Big Data Photo Gallery

Como é construída a parte do Facebook que ninguém vê (mas um bilhão de pessoas usam)


windows 10

Microsoft corrige falha do Windows que existia há 19 anos


windows-falha

Falha no Windows permite a hackers controlar seu PC remotamente; corrija-a agora mesmo


É possível recarregar o cérebro humano?

É possível estimular o cérebro humano para melhorá-lo?


viajante futuro

Um breve histórico dos cientistas que tentaram caçar viajantes do tempo


programador

Conselhos de um velho programador antissocial e ranzinza


The Fermi Paradox (1)

O Paradoxo de Fermi: onde é que estão as outras Terras?


1280px-Marco_Feliciano

Deputado propõe ensino de criacionismo nas escolas e cria um debate trava-cabeça


voicebreaksglass

Com iPhone caro demais, imagem da Apple começa a rachar no Brasil


Couro (1)

Como o couro está matando lentamente as pessoas e lugares que o produzem


Um dos experimentos científicos do vídeo

Um vídeo incrível mostra como experimentos científicos reagem à música

Publicado por: Gizmodo - Continue lendo: izmoizmododohttp://feeds.feedburner.com/gizmodobr

Tags: , ,

Como funcionarão os apps e as notificações no Apple Watch

Esta semana foi lançado o WatchKit, para desenvolvedores criarem apps para o Apple Watch. E com ele vieram as Diretrizes de Interface, com as recomendações da empresa para quase todo detalhe sobre o design dos apps. Eis o que elas revelam.

Como funcionam a interface e as notificações do Android Wear

Os apps serão uma extensão do iPhone, pelo menos no início

Nas diretrizes do WatchKit, a Apple diz que “um app para o Watch complementa o seu app para iOS, mas não o substitui”. Por isso, ele requer um iPhone o tempo todo para funcionar ao máximo, senão vira apenas um relógio. No entanto, a empresa avisa que vai liberar, em 2015, a criação de apps nativos, que não dependem de um iPhone.

Existem dois tipos de notificações

Quando você usa o Apple Watch e levanta o pulso, a tela se liga automaticamente e exibe o “Short Look”: uma notificação com um ícone, o nome do app e parte da informação. Após um momento, a tela exibe o “Long Look”: a informação ocupa a maior parte da tela, e é possível navegar pela interface para dispensar a notificação ou para realizar ações – “responder” ou “curtir”, por exemplo – tocando em um botão.

Apple Watch - glances e notificações

Há também os Glances

Os Glances funcionam como os cards do Google Now: eles oferecem uma informação curta vinda de um app, que seja “oportuna e contextualmente relevante”, talvez com base em localização e outros.

Toda a informação – por exemplo, compromissos da agenda ou previsão do tempo – deve caber em uma só tela. Toque no Glance e você é levado ao app correspondente.

Você decide quando vê os Glances. “Ao contrário de um alerta enviado por push ao dispositivo, os Glances são acessados a critério do usuário”, diz a Apple – basta deslizar a partir da borda inferior.

A fonte se adapta para seus olhos

A Apple criou uma nova fonte, chamada San Francisco, especificamente para o Watch. E as diretrizes de interface explicam por que ela é mais adequada para telas pequenas.

Ao contrário de algumas fontes, a San Francisco irá se condensar ou expandir com base no tamanho das letras. Se você estiver lendo um texto minúsculo, por exemplo, haverá mais espaço entre cada letra e o tamanho da pontuação será maior, assim como o tamanho dos buracos nas letras como “e” e “a”. Isto facilita a leitura quando o texto no Watch for muito pequeno.

Apple Watch

“Force Touch” adiciona uma segunda camada de interação

Nós já sabíamos que a tela Retina do relógio seria capaz de interpretar a força de seu dedo. Mas agora nós estamos começando a ver como essa sensibilidade vai impactar a interface.

O Force Touch age como uma segunda camada de interações porque você vai usá-lo para acessar um menu de nível superior, que exibe as opções dentro de cada app.

“Uma tela pequena não consegue acomodar tantos controles”, diz a Apple. “Interações via Force Touch exibem o menu de contexto (se houver) associado à tela atual. Os apps usam este menu para exibir as ações pertinentes ao conteúdo atual.”

Apple Watch

A “coroa digital” se soma à touchscreen

Um dos destaques no Apple Watch é a coroa digital, o botão giratório na lateral. Ele permite dar zoom e rolar por páginas. A ideia, como explica a Apple, é desobstruir a tela quando for preciso interagir de forma mais precisa. “A Coroa Digital foi projetada para rolagem precisa e acelerada, sem obstruir a tela. Assim, é mais fácil percorrer páginas mais longas”, diz a Apple.

Há outras formas de se interagir com o Apple Watch…

Além do toque e da coroa digital, também dá para falar com o Apple Watch. É possível ditar e-mails ou falar com a Siri, que pode trazer as mesmas informações que no iPhone.

E há um botão adicional com uma função meio bizarra: é possível enviar emoticons, desenhos rápidos ou até seu batimento cardíaco para seus contatos.

… mas nós ainda não sabemos muito sobre a Taptic Engine

A Taptic Engine fará o Apple Watch tremer de forma diferente dependendo do app que enviar a notificação. Em setembro, a empresa disse que, com esse recurso, “você sente uma sensação tátil que é notavelmente diferente para cada tipo de interação”. Parece que a Apple terá o controle, pois isso não aparece no WatchKit.

O pequeno motor vibratório também ajuda na navegação: no app Mapas, ele vibra de forma diferente se você tiver que virar à direita ou esquerda, assim você não precisa olhar as direções no seu pulso.

O Apple Watch custará US$ 349 quando for lançado em 2015, e só funciona com iPhones. [Apple]

  • RELACIONADOS
  • DESTAQUES
  • POPULARES


voicebreaksglass

Com iPhone caro demais, imagem da Apple começa a rachar no Brasil


sapphire glass vidro safira apple iphone

A tecnologia defeituosa que impediu os iPhones de usarem telas de safira


Review do iPhone 6

[Review] iPhone 6: não se fazem mais smartphones top de linha com este tamanho


iPhone 6 e 6 Plus lado a lado

Os preços do iPhone 6 e 6 Plus nas operadoras e no varejo


É possível recarregar o cérebro humano?

É possível estimular o cérebro humano para melhorá-lo?


viajante futuro

Um breve histórico dos cientistas que tentaram caçar viajantes do tempo


programador

Conselhos de um velho programador antissocial e ranzinza


The Fermi Paradox (1)

O Paradoxo de Fermi: onde é que estão as outras Terras?


1280px-Marco_Feliciano

Deputado propõe ensino de criacionismo nas escolas e cria um debate trava-cabeça


voicebreaksglass

Com iPhone caro demais, imagem da Apple começa a rachar no Brasil


Couro (1)

Como o couro está matando lentamente as pessoas e lugares que o produzem


Um dos experimentos científicos do vídeo

Um vídeo incrível mostra como experimentos científicos reagem à música

Publicado por: Gizmodo - Continue lendo: izmoizmododohttp://feeds.feedburner.com/gizmodobr

Tags: , ,

Best iPhone and iPad Games of the Week: 11/21/14

This week it seems like we’re handing out five star reviews like it’s going out of style, but all of these games are great and two of them won’t even cost you a penny to play, basically ever. That’s pretty awesome, right? Anyway, it’s probably safe to get used to weeks like this, at least for the next couple weeks, as the end of the year is almost fully upon us.


Crossy Road - Endless Arcade HopperCrossy Road - Endless Arcade Hopper


Crossy Road – Endless Arcade Hopper, Free
[Review] – Crossy Road is a simple game, but there’s clearly a lot of work that went into making it one of the best ‘simple’ experiences that can be enjoyed. This is already the kind of game where I’m going back and forth with people for high scores, and sharing my high scores to Twitter. I’ve become absolutely hooked to this game, and I don’t see that ending any time soon. It does a wondeful job at balancing out being accessible, and a free game that both can be played for free, but isn’t necessarily afraid to try and make a little money, either. Play this game.


Vainglory for iPhoneVainglory for iPhone


Vainglory for iPhone, Free
[HD] – [Review] – Seeing how Vainglory is free, there’s really no reason not to check it out. However, I’d go even further and say that it’s probably the best MOBA on iOS and offers both an awesome experience for MOBA veterans while also providing an approachable avenue for novices. Simply put, you owe it to yourself to check out Super Evil Megacorp’s latest masterpiece.


XCOM®: Enemy WithinXCOM®: Enemy Within


XCOM®: Enemy Within, $12.99
[Review] – Sequels get a bad wrap. When you consider the benefits a prime iteration of a game or movie has going for it, its no wonder the follow up that lacks the initial reveal often disappoints. Luckily you don’t have to worry about disappointment if you pick up 2k’s XCOM: Enemy Within. Enemy Within has packed on a ton of features that dovetail seamlessly with it’s successor.


Crystal Siege HDCrystal Siege HD


Crystal Siege HD, $4.99
[Review] – iPad owners who love tower defense need to give Crystal Siege a shot. The blend of RPG elements with tower defense makes for a fantastic combination, one that feels rather involved. And people who don’t like tower defense games might enjoy this in particular because it is so action-oriented. I’m not really sure why this is an iPad exclusive, as while the levels are really designed for the 4:3 iPad aspect ratio, some levels have scrolling elements, too. Add in some zooming or possibly tweak the levels for 16:9 aspect ratios, and it feels like this game could easily work on phones, as is the plan. Some of the detailed visuals and animations will be lost on smaller screens, sure, but I see no reason why this game can’t be playable on phones. As such, people who don’t own iPads will just have to wait patiently until this finally releases for iPhone, but it’ll be worth the wait.

Additionally, we reviewed a few other games this week. As always, you can dig into all of our reviews by clicking here. Alternatively, you can hit up specific scores by using these links:

Publicado por: TouchArcade - Continue lendo: http://toucharcade.com/feed/

Tags: