Receba atualizações no seu Facebook. Basta curtir a nossa página abaixo:

 

‘.Decluster Zero: Bullet Nocturne’ Unleashes Bullet Hell Today

Masayuki Ito’s .Decluster Zero: Bullet Nocturne [$2.99 / Free] is out now on the App Store. It had kind of an odd release, where the Lite version was out last week ahead of the full version’s release today, but now the full paid version is out worldwide. There was briefly a bug that affected the game view, but that’s been addressed and the game is running perfectly fine now.

This is a sequel/remix to .Decluster: Into the Bullet Hell [$1.99 / Free], which we reviewed highly. You’ll be piloting a ship amidst a flurry of bullets, firing off bullet-cancelling homing lasers to help you out. The game immediately feels better than its predecessor, with a high-resolution visual option, and just a smoother feel to the proceedings that make this worth checking out. It does feel like it ramps up in intensity faster than the original game did, so maybe you’ll want to play the original first, or prepare for a trial by fire with .Decluster Zero.

Publicado por: TouchArcade - Continue lendo: http://toucharcade.com/feed/

Tags:

Google Play Música ganha playlists específicas para cada momento do seu dia

O Google Play Música é um serviço 3 em 1: loja de música digital, backup da sua biblioteca musical na nuvem e serviço de streaming. E esta terceira parte promete ficar melhor: estão disponíveis no Brasil as playlists contextuais, listas de músicas pensadas para atividades específicas do seu dia ou semana. O Gizmodo Brasil deu uma olhada em como funciona o serviço, a convite do Google.

Logo que você entra no Google Play Música, vê uma seção na página inicial com situações e atividades. Elas variam de acordo com o dia e a hora — no momento em que estou escrevendo esta matéria, às 18h de uma segunda-feira, as sugestões do Google são “Pais e filhos”, “A hora do jantar”, “Lançamentos bacanas”, “Happy hour”, “Malhar” e “Desacelerar”.

Captura de Tela 2015-08-03 às 19.41.49

Escolha um destes contextos e você terá opções de gêneros musicais: “A hora do jantar”, por exemplo dá as opções “Tempero brasileiro”, “Menu light” e “Pitada pop”. Cada uma destas opções tem três playlists, cada uma com mais de três horas de duração, com uma seleção personalizada adequada para o momento e para seu gosto musical.

Captura de Tela 2015-08-03 às 19.37.08

Captura de Tela 2015-08-03 às 19.37.35

E, mesmo que você esteja numa situação imprevista, é possível encontrar sugestões do Google Play Música para o momento. Seus colegas de trabalho resolveram fazer um churrasco quinta à tarde? O Google Play Música não vai sugerir automaticamente, claro, mas basta digitar “churrasco” na busca que você encontra a atividade.

Captura de Tela 2015-08-03 às 19.45.15

O Brasil é o quinto país a receber a função das playlists contextuais — o primeiro de língua não-inglesa. Helen Marqis, diretora global de programação musical do Google Play Música, conta que foram necessários alguns meses de trabalho para trazer as playlists contextuais para o Brasil. “Nós começamos do zero. Contratamos freelancers e experts em música no Brasil para criar playlists adaptadas ao gosto local.”, diz Helen. Além de criar playlists com música brasileira, os contextos também têm um samba no pé típico do Brasil. “Nós descobrimos, por exemplo, que os brasileiros passam muito tempo no trânsito, e que gostam de músicas para churrasco.”

As playlists contextuais são a união do chamado “contextual learning” do Google com a curadoria do Songza, serviço de streaming disponível nos EUA e Canadá que foi comprado pelo Google em junho do ano passado.

Elias Roman, gerente de produto do Google Play Música e co-fundador do Songza, explica como é feita a junção entre as duas partes. “O aprendizado contextual do Google é invariável. Ele serve para qualquer lugar do mundo. O que vai dentro dele, as playlists e músicas, e essa é a parte legal, é o que pode ser mudado para cada lugar do mundo.”

As playlists contextuais usam apenas as músicas da biblioteca do Google — nada de pegar os mp3 que estavam no seu computador e foram para o serviço. Roman explica o motivo: “nós mantemos as coisas separadas. Você pode ouvir suas músicas e pode ouvir as nossas playlists, mas elas não se misturam, porque não tem nenhum algoritmo analisando as suas canções. É totalmente humano.”

Captura de Tela 2015-08-03 às 19.46.53

De fato, as playlists do serviço parecem bem coerentes e superam uma antiga reclamação minha: a de que rádios criadas por algoritmos não entendem música brasileira e misturam coisas que não têm muito a ver. Nas playlists do serviço, tem coisas como “Tropicália Friends”, com artistas ligados ao movimento cultural dos anos 60, e “Rádio Clube da Esquina”, com Milton Nascimento e demais compositores mineiros dos anos 70.

Nossa única reclamação é que não existe acesso gratuito a este recurso, como é nos EUA. As playlists contextuais do Google Play Música estarão disponíveis na web, Android e iOS para assinantes do plano ilimitado (R$ 14,90/mês).

Foto por FirmBee/Pixabay

  • RELACIONADOS
  • DESTAQUES
  • POPULARES


Aclima e carro do Street View

Google coloca sensores em carros do Street View para mapear a poluição do ar


Mensagem no WhatsApp pelo Google Now

Google Now ganha recurso para ditar mensagens no WhatsApp e Viber


google plus icon screen

Google está finalmente separando os serviços do Google+


Grooveshark (2)

StreamSquid traz de volta à vida suas playlists perdidas do Grooveshark


cerebro

É possível estimular o cérebro humano para melhorá-lo?


viajante futuro

Um breve histórico dos cientistas que tentaram caçar viajantes do tempo


programador

Conselhos de um velho programador antissocial e ranzinza


The Fermi Paradox (1)

O Paradoxo de Fermi: onde é que estão as outras Terras?


Chrome e Firefox

Dane-se o Chrome, eu vou voltar para o Firefox


Pirâmide detonada

A pirâmide mais antiga do Egito está sendo destruída pela empresa contratada para restaurá-la


buraco

Dois novos buracos gigantes são encontrados na Sibéria, e cientistas ainda estão perplexos


1269510816511723695

A arma dos EUA que dispara pulsos eletromagnéticos no céu para destruir eletrônicos

Publicado por: Gizmodo - Continue lendo: izmoizmododohttp://feeds.feedburner.com/gizmodobr

Tags: , ,

Conheça o Lexicar Brasil, site que conta a história do carro no país

Amantes de esportivos, modelos comuns, carros antigos, ônibus e caminhões têm um motivo em comum para comemorar: o site Lexicar Brasil, espécie de enciclopédia gratuita que conta a história do automóvel no país.

O Lexicar Brasil foi idealizado pelo engenheiro mecânico João F. Scharinger. Dono de um grande acervo sobre o assunto, ele realizou toda a pesquisa em revistas, sites e materiais de divulgação da montadoras. O site ainda não está pronto: ele estreou em outubro de 2014 com as letras A, B e C do índice prontas, e está atualmente na letra S — T e U devem entrar no ar em setembro.

A enciclopédia é a versão online do livro A Produção Automotiva Brasileira: Um Catálogo Geral, que, segundo o site, ainda está em busca de uma editora para ser publicado. Além disso, várias marcas e modelos obscuros ainda precisam de mais informações e aguardam colaboração.

O conteúdo é realmente impressionante. Procure uma montadora qualquer (dentro das letras publicadas, claro) e você verá um artigo bastante completo com toda sua história e modelos fabricados. O site não se limita a isso: ônibus, utilitários, veículos artesanais, réplicas, buggies e até mesmo tratores, entre outros veículos, também são assunto.

A enciclopédia cobre desde o início do século XX — mais precisamente de 1904, data de fundação da Grassi, que fabricava carrocerias para carros e ônibus —até os dias de hoje. Você pode explorar — e até mesmo utilizar o conteúdo livremente, desde que citando a fonte — o Lexicar Brasil em seu site.

  • RELACIONADOS
  • DESTAQUES
  • POPULARES


carro

Hackers podem controlar quase meio milhão de veículos Chrysler a distância


Carro do Google na rua

Carro autônomo do Google sofre batida mais uma vez por causa de humanos distraídos


1322932086050493617

Carros da Chevrolet ganham saída de ar-condicionado para o smartphone


Safety Truck da Samsung

Samsung quer tornar as estradas mais seguras com um caminhão transparente


cerebro

É possível estimular o cérebro humano para melhorá-lo?


viajante futuro

Um breve histórico dos cientistas que tentaram caçar viajantes do tempo


programador

Conselhos de um velho programador antissocial e ranzinza


The Fermi Paradox (1)

O Paradoxo de Fermi: onde é que estão as outras Terras?


Chrome e Firefox

Dane-se o Chrome, eu vou voltar para o Firefox


Pirâmide detonada

A pirâmide mais antiga do Egito está sendo destruída pela empresa contratada para restaurá-la


buraco

Dois novos buracos gigantes são encontrados na Sibéria, e cientistas ainda estão perplexos


1269510816511723695

A arma dos EUA que dispara pulsos eletromagnéticos no céu para destruir eletrônicos

Publicado por: Gizmodo - Continue lendo: izmoizmododohttp://feeds.feedburner.com/gizmodobr

Tags: , ,

Freddy’s Here: ‘Five Nights At Freddy’s 4′ Is Out Now On iOS



Well, I hope you all are having a lovely Tuesday. Mine could be better, and let me tell you why: the long-awaited Five Nights At Freddy’s 4 [$2.99] is now available on iOS. Oh, I don’t dislike the games, don’t get me wrong. In fact, I felt like they’ve gotten a little better with each installment, and this one seems like it’s the best one yet. It’s just that I wasn’t really planning on getting the ca-ca jump-scared out of me tonight, but it looks like that’s how it’s going to be.

Reviews of the PC version haven’t had a lot of nice things to say about the game, but this has never been a series that connected all that well with reviewers, so it’s hard to say how that’s going to translate to the iOS version. I do know that the game relies more on sound than previous games, and since most of us good little girls and boys have been taught to use headphones with mobile games, it might be a bit more intimate and spooky compared to the PC versions. I’ll have a review for you as soon as I can put the game through its paces and sort myself out.

Five Nights At Freddy’s 4 is available now for $2.99, a steal of a deal compared to its $7.99 price on Steam. Of course, if you’re a fan of the series, you’ve probably already hit the purchase button. If you’re not, why not check out the lovely story guide I wrote to see if something catches you?

Publicado por: TouchArcade - Continue lendo: http://toucharcade.com/feed/

Tags:

Este Nintendinho gigante toca clássicos de Super Mario Bros no piano

Música de videogame tocada em instrumentos clássicos, seja um violino ou um piano, não é nenhuma novidade. Uma busca rápida no YouTube retorna com milhares de resultados com versões clássicas das originais, e, além disso, existem grandes grupos que se apresentam ao vivo com essas versões, como Video Games Live, que já fez inúmeros shows pelo mundo, incluindo o Brasil.

O canal Player Piano, entretanto, vai um passo além: eles transformaram um piano em um gigantesco Nintendinho, com direito até mesmo a um banco em formato de joystick.

Dirigida pelo cineasta Tom Grey, a compositora e pianista Sonya Belousova celebra os 30 anos do clássico Super Mario Bros com um arranjo dos principais temas do jogo homônimo de 1985. Ele inclui músicas da primeira fase, das fases subterrâneas, de água e o tema do final de casa fase.

Ao Mashable, Sonya explica que o maior desafio para montar o arranjo foi encontrar as músicas que funcionavam melhor em conjunto. “Quando montamos música para um instrumento específico, nem todo tema pode funcionar. Alguns temas são bons para o piano, outros não”, explica.  O arranjo de Super Mario Bros pode ser comprado no álbum de músicas 8-bit do canal, vendido no site do grupo, iTunes, Amazon e Google Play.

Este não é o primeiro piano personalizado do canal — os primeiros faziam referência aos fliperamas, tocando o tema de Tetris, e o segundo ao animê Akira. O “piano nintendinho” levou dois meses para ser construído por Grey e pela designer de produtos Megan Burns. O instrumento será dado de presente a um dos seguidores do canal assim que ele atingir 1 milhão de seguidores. [Mashable]

Publicado por: Gizmodo - Continue lendo: izmoizmododohttp://feeds.feedburner.com/gizmodobr

Tags: , ,